terça-feira, 30 de agosto de 2016

Féretro do Socialismo, assim como um dia foi-se o projeto perfeito do Jardim do Éden

Roberto da Silva Rocha, professor universitário e cientista político Veja a que ponto chegamos: Chegado aqui neste dia onde eu jamais esperava não poder ter nenhum amigo petista adicionado no FB, ao contrário, foram um a um bloqueados, somente restando dois deles, amigos de quatro décadas. Não conseguem conviver com o direito ao contraditório. Eu consigo. Sou negro, SPF, sindicalista, fundador do PT, mas pude ter a oportunidade de reciclar meus ideais de infância e acatar as lições da história onde se deturpou as idéias de Rousseau e Jesus sobre a utopia socialista. Ao criar o Jardim do Éden, Deus imaginou o paraíso na terra, então não cogitou Deus de criar o céu nem inferno, pois não constava de seus planos a queda de Eva e Adão. Depois disso destruiu tudo, arrependido dos seus sonhos da perfeição societal humana, através de um dilúvio, mas deu uma chance nova para a humanidade renascer na Arca de Noé, novamente, deu errado, então chamou Abraão e disse que ele seria o patriarca de um povo bom, perfeito, negro, palestino, seria o seu povo predileto, único. Novamente deu errado, veio João Batista e um novo povo de Deus expandido pelo batismo excluindo o povo hebreu e incluindo-o juntamente com os batizados na fé. O que vemos depois foi a insituição do céu e do inferno para separarem os bons dos maus. Assim, o socialismo fracassou, como os planos divinos para a humanidade perfeita. Será que Heinrich Karl Marx ainda defenderia o projeto do Comunismo se vivo fosse hoje? Seu projeto era mais perfeito do que o de Deus para a humanidade? O que resta para os ainda recalcitrantes aceitarem que o projeto de uma sociedade perfeita via comunismo fracassaram, e devem ser esquecidos como o próprio Deus se arrependeu duas vezes de ter criado o homem. A culpa pode ser do homem, ou do socialismo, não importa mais, nunca vai dar certo, a História o provou, assim como o Jardim do Éden. O Socialismo é messiânico, na visão salvadora e resgatadora da humanidade pois se autointitularam os protagonistas dos inocentes alienados, segundo Heinrich Karl Marx, somos todos imbecis por vício de origem, como no pecado original de Eva, por isso a salvação encontra-se na única redenção da escuridão da ignorância para mesmo não a reconhecendo oferecer o resgate compulsório do erro original causado pela maldade imanente ao sistema capitalista. Mas, a realidade teima em contrariar as concepções marxista em seus constructos teóricos tanto ontológicos como tanto categorias analíticas transcendentais kantianas, quer dizer, o marxismo é uma religião de fiéis e não se submete à análise histórica muito menos epistemológica, pois se autojustifica e encontra as provas de sua sustentação endoginamente a partir de suas premissas deduzidas de seus autoconceitos pressupostos autojustificados, ou seja, parte da premissa de que existe um erro primordial no capitalismo apenas porque o capital é mal, o trabalhador é vítima do capital, a saída é usurpar o capital por que toda propriedade privada é fruto do roubo, portanto a propriedade coletiva é a única sem vícios. Nunca se exigiu prova de que a origem da propriedade seja justa ou não, a ortodoxia marxista exige que não seja necessária a devida prova, assim o trabalhador quando desempregado apela aos capitalistas para suprir a vaga no emprego então paradoxalmente logo que começa a trabalhar para o capitalista cruel que lhes deu a saída para o desemprego, passa o mesmo patrão a ser o seu principal inimigo por aliená-lo dos meios de produção e da consciência de propriedade e de posse dos meios de produção, a despeito de que a criação de cada posto de trablaho ofertado pelo cruel capitalista custa investimento de capital muitas vezes superior ao valor da mão de obra empregada principalmente no setor terciário e secundário da Economia. É uma quimera imaginar que o prórpio trabalhador possa investir na criação de seu próprio posto de trabalho sem pesados investimentos, e quem consegue via de regra fazê-lo com sucesso chamam-se autônomos e ou ambulantes. Tais categorias já existiam ao tempo de Marx, apenas ele teve má vontade em perceber isso ou foi má fé do grande mestre. Roberto da Silva Rocha, university professor and political scientist I am liberal and capitalist. Just believe and I am sure that communism will one day be expanded across the globe with an update. But not this model that failed because of the dictatorship of the proletariat. This model never existed. According to Gramsci at least three estates exist in communism: the organic intellectuals, the mass and the elite of the single party. For Karl there is the elite and the mass. In the Soviet system there were thirty categories of ration cards for food and movable and consumer goods. Identified formally admitted existed the elite of the party, the workers-peasants-military, scientists-doctors-engineer, bureaucrats and the people. Therefore, in any ideology always exists there will be the upper caste and the intermediate castes. The anti-elite in the USSR, Cuba, Vietnam, North Korea, and Brazil with the northeastern and gauchos in the nucleus of the PT, PSOL, PCB pseudo intelectualoides like FHC, CIR ...

Nenhum comentário: