quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Campo gravitacional: existe?

Roberto da Silva Rocha, professor universitário e cientista político

Campo gravitacional: existe?

I – Campo
Campo Elétrico versus Campo Gravitacional

Ia – Hipótese

“O campo gravitacional é a sinestesia do Campo Elétrico”.

Ia1 – Consequências:

Corolário – 1

O campo elétrico é cerca de 10e41 vezes maior do que o campo gravitacional em medida de potencial de força atrativa;

Corolário – 2

O campo gravitacional não existe

Corolário – 3

O campo gravitacional é um dos efeitos secundários da atração-repulsão combinada e simultânea das cargas elétricas dos átomos e das partículas atômicas e subatômicas.

II – Introdução

IIb – Revisão da Bibliografia

IIb1 – Toda matéria contém carga elétrica primariamente representadas por:

a) Elétron possui carga negativa;

b) Prótons possuem carga positiva;

IIb2 – Toda matéria contém carga elétrica secundariamente representada por:

a) Neutrons possuem cargas positiva e negativa em equilíbrio eletrostático;
b) Próton possui cargas negativa e positiva em desequilíbrio eletrostático positivo;
c) Pósitron possui carga positiva.

IIb2 – Toda matéria química molecular interage através da sua camada eletrônica de elétrons livres. A camada de valência.

É do balanço elétrico (das suas cargas elétricas internas) que se formam as substâncias químicas moleculares simples e compostas das quais o núcleo dos átomos participa secundariamente.

Quando o núcleo interage nestas reações é perceptível a presença de dois resultados-efeitos:

a) Liberação de radiação;
b) Energia atômica liberada em quantidades macissas.

IIb3 – Regra do Octeto

É uma misteriosa regra da Química Geral que afirma e garante que:

a) As moléculas tendem a um arranjo de átomos que forme no estado mais estável da matéria, quimicamente e termodinamicamente, na última camada de valência numa configuração com exatamente 8 elétrons.
b) Os átomos se dividem em três grupos quanto aos 8 elétrons da última camada molecular:

b1 – menos de 4 elétrons seriam classificados como metais;
b2 – mais de 4 elétrons seriam classificados como não-metais;
b3 – exatamente 4 elétrons seriam semimetais.

As conseqüências da regra do octeto são as mais importantes para a Físico-Química.

Pela Regra do Octeto os átomos que possuem menos de 4 elétrons em sua camada de valência tendem a expulsá-los de suas órbitas (naturalmente).

a) Estes elétrons órfãos são capturados por átomos vizinhos captadores destes elétrons livres;
b) Estes elétrons órfãos formam uma nuvem de elétrons livres.

Pela regra do octeto, os átomos que possuem mais de 4 elétrons em sua camada de valência tendem a capturar elétrons vagantes ou elétrons ejetados por átomos vizinnos.

Consequências da regra do octeto:

a) Este movimento de elétrons forma os íons;
b) Os íons formados fazem as reações químicas;
c) Os íons são responsáveis pela existência e formação das substâncias químicas compostas;
d) Íons de cargas elétricas opostas se atraem;
e) Íons de cargas elétricas semelhante se repelem;
f) Íons de cargas elétricas desbalanceadas eletricamente se atraem.

IIb4 – Movimento de cargas

Como os elétrons são livres para circularem entre os núcleos dos átomos eles são os principais responsáveis pela atividade química não-nuclear das substâncias e dos elementos químicos.

IIb5 – Núcleo estável

Os prótons e os nêutrons tem um papel passivo nas rações não-nucleares.

IIb6 – Carga elétrica da Terra

A Terra (planeta) possui carga elétrica ligeiramente positiva, sendo protônica, daí o efeito aterramento, atraindo os elétrons livres das nuvens carregadas e dos objetos elétricos carregados negativamente. (raios, trovões, objetos, íons, corpos celestes).

IIb7 – Elétrons

Os elétrons possuem o papel mais importante nas reações químicas, principalmente.

IIb8 – carga Protônica

Os objetos grandes sólidos são protônicos, com a Terra, gerando duas considerações:

a) Os elétrons livres da superfície da Terra escapam da atração elétrica da Terra;
b) Os elétrons internos da Terra ficam aprisionados entre os núcleos dos átomos internos da Terra.
IIb9 – Mobilidade e prisão de elétrons

Esta mobilidade dos elétrons na matéria, Terra mais especificamente, geraria dois grandes efeitos importantes:

a) Atração:

a1) Entre a carga protônica da Terra e os elétrons aprisionados dos objetos próximos da Terra:
a2) Entre as carga protônica dos objetos e os elétrons aprisionados na Terra.

b) Repulsão:

b1) Entre as cargas protônicas dos objetos;
b2) Entre os elétrons aprisionados da Terra e dos objetos próximos.

As conseqüências entre [9a] e [9b] seriam:

a) A Força elétrica entre cargas é:

Fe = k Qq/de2

Onde, para k = 9 x 10e9

E : Q = q = 1,602 x 10e-19 Coulombs
Fe = 2,56 x 10e-28 Newtons

b) A Força gravitacional entre massas é:

Fg = G MT.m/de2

Onde, para MT = massa da Terra e m = massa do objeto próximo à Terra
G = 6,67 x 10e-11
Fg = 10,67 x 10e-70 para a massa m = massa de um elétron = 9,109 x 10e-31 Kg
MT = massa da Terra 10e32 Newtons

No balanço das forças, desprezando-se a distância entre massas e cargas, por estarem muito próximas, e a mesma distância tanto para cargas elétricas como considerando-se a interação gravitacional, para efeito de cálculo das Fe e de Fg:

a) Fe = 10e10 x [1,6 x 10e-19]2 = 2,56 x 10e-28
b) Fg = 6.67 x 10e-11 x [10e32 x 1,6 x 10e-27] = 10,67 x 10e-70

As interações elétricas da ordem de [2,56 x 10e-28] e as interações devido à gravidade é de
[10,67 x 10e-70] , ou seja, 10e-41 vezes maior entre as duas!

III – Conclusões

1 – A força gravitacional é desprezível frente à força elétrica entre as cargas;
2 – A força elétrica é hegemônica no universo.

Hipótese:

MT = massa da Terra total de todos os prótons + elétrons + prótons
a) Considerando o número de prótons = número de nêutrons = número de elétrons
b) MT = 5,4 x 10e24 N

Logo Fe = Fg = 5,4 x 10e24 , esta é a hipótese

Desenvolvimento:

Campo eletromagnético

Todo campo elétrico oscilante produz efeito magnético, como, por exemplo, um movimento de íons ou de cargas elétricas;

- A Terra e o Sol se movem , ambos são íons protônicos envoltos em nuvens eletrônicas;
- Campos eletromagnéticos oscilantes produzem ondas eletromagnéticas de freqüência modulada de diversos valores;
- Ondas eletromagnéticas induzem correntes elétricas em condutores metálicos;

O Sol e a Terra produzem campos elétricos oscilantes pois se movem em:

a) Rotação;
b) Translação;
c) Afastamento, aproximação;
d) Aceleração radial e linear

Com isso, as oscilações elétricas e magnéticas são em: intensidade, velocidade, direção, sentido, magnitude e quantidade.

Sabemos que campos elétricos induzidos geram forças contrárias e opostas em sentido, de Lenz, a força contra-eletromotriz .

Este combinado cria um acoplamento eletromagnético que se realimentam mutuamente.]

Memória de Cálculos:

Cálculos empregados para a demonstração da hipótese: e as aproximações de magnitudes.

Massas:
MP = Massa do próton / neutron 1,6726 x 10e-27Kg
Me = Massa do elétron 9,109 x 10e-31 Kg

Cargas elétricas P+ /e- 1,602 x 10e-19 Coulombs
1 Coulombs = 6,25 x 10e18 elétrons

K = 9,09 x 10e9
G = 6.67.x.10e-11
Fg = G MT m/ de2
Fe = K Qq / de2

Massa da Terra = 5,4 x 10e24 N

Hipótese:

Qual a força elétrica exercida pela Terra FeT

Entre os pares Prótons / Elétrons da Terra
Qp = Carga elétrica de um próton
Qe = Carga elétrica de um elétron

Número de pares prótons/elétrons da Terra
T =2,12 x10e52

Logo:

Força elétrica da Terra é
9,09 x 10e9 x [1,6x 10e-19]e2 x 2,12 x 10e52 = 5,4 x 10e24

Cálculo no número de partículas elétricas da Terra

1) Massa do elétron Me-
9,109 x 10e-31 kg

2) Massa do próton Mp+
1,6 x 10e-27 Kg

3) Massa do neutron Mn0
1,6 x 10e-27 Kg

Número de prótons = número de elétrons
Massa da Terra = Me- + Mp+ + Mn0
Massa total das partículas Mtp

Mp+ / Me- = 1,67 x 10e-27 Kg / 9,109 x 10e-31 kg = 1,67 x 10e3
MTP = [2 x 1,67 x 10e3] +1 = 3,341 x Me-

Dividindo a massa da Terra por Me-

5,4 x 10e24 Kg / 9,109 x 10e-31 Kg = 0,636 x 10e55 partículas

Número de partículas

0,636 x 10e55 / 3,341 = 2,12 x 10e52

http://professorrobertorocha.blogspot.com/2011/09/lei-da-evolucao-das-leis-do-universo.html

Nenhum comentário: